Visitas desde 26 mar 2006
superannuation
superannuation Counter 
O Projeto

      O Projeto EdiOS nasceu, de fato, em 2001. Naquela época, fiz alguns testes em MSX-BASIC mesmo. Entretanto, ele ficou praticamente parado devido à prioridade em outro projeto: o MSX Top Secret 2. O motivo era simples: seria bem mais fácil completar o sistema EdiOS com informação mais fácil à mão.  Findo o MSX Top Secret 2, pude dedicar mais tempo ao EdiOS.

         E o que é o Projeto EdiOS?

       
Apesar do nome, EdiOS não é um sistema operacional. Talvez no futuro ele possa evoluir para tal. O objetivo é mais simples: criação de uma interface gráfica amigável para o MSX, com o máximo possível de recursos, cuja finalidade primária é substituir o COMMAND2.COM. Acontece que as interfaces gráficas existentes para o MSX são muito precárias e antigas. Estou procurando fazer o EdiOS dentro de uma concepção mais moderna. Algumas concepções traçadas:

1 - Não ficar preso a apenas uma Screen. A primeira versão prevê, ao menos, Screens 5, 6, 7, e 8;
2 - Uso do botão direito do mouse para abrir um menu de propriedades;
3 - Cópia de arquivos no esquema copiar/colar ou arrastando ícones;
4 - Executar um arquivo qualquer chamando o aplicativo que o manipula (ex. chamar o Execrom apenas clicando no arquivo .ROM).

        Creio que essas concepções nada tem de absurdo. O início do desenvolvimento  foi difícil, porque calculei que era melhor fazer o sistema em C do que em ASM, e eu não conhecia nada de C. O tempo mostrou que fiz a opção correta. Tracei também algumas regras para o desenvolvimento:

1 - Desenvolver o sistema sempre que possível em C;
2 - Usar ASM em apenas dois casos: quando C não tiver a função requerida (ex: mouse) e quando a velocidade for prioritária;
3 - Não se preocupar muito com o tamanho do executável. Como é um sistema concebido para rodar em HD´s, se um executável ficar muito grande, basta dividi-lo.

       Essas concepções e regras parecem ter sido corretas. O Sistema EdiOS não está ficando tão lento, como poderia se supor. O "esqueleto" está praticamente pronto; agora, é ver até onde dá pra sofisticar.